Faixa publicitária
Centenário da Consagração ao Sagrado Coração de Jesus da Venerável Sílvia Cardoso PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Notícias - Notícias Vigararias

 

 

Por ocasião do primeiro aniversário da trasladação dos restos mortais da Venerável Sílvia Cardoso Ferreira da Silva para a Igreja Paroquial de Paços de Ferreira, e fazendo coincidir esta data com o centenário da sua consagração ao Sagrado Coração de Jesus - 1 de abril de 1917 - o Senhor D. António Francisco dos Santos, Bispo do Porto, presidirá à eucaristia, nesta igreja, no dia 3 de abril, às 21.00h. Será um momento de ação de graças e de súplica ao Senhor, que nos conceda a graça da sua beatificação e canonização.

 

Foi há 100 anos que a Venerável Sílvia Cardoso fez a Consagração ao Sagrado Coração de Jesus, num retiro, em março de 1917, em Tuy, Espanha, quando fazia os Exercícios Espirituais, acompanhada de outras duas senhoras, com o Pe. António Vaz Serra, Jesuíta, ali exilado, depois da implantação da República (1910).

 

Sílvia Cardoso já conhecia o Pe. Vaz Serra, de uma visita a casa de uma prima em Lisboa, em 1910. Como era habitual quis confessar-se a ele, como a prima. E já aí, ele lhe terá dito “que Deus não a queria por esse caminho”, referindo-se ao seu projeto de matrimónio e acrescentando: “Deus quere-a para apóstola”. Esta (pro)vocação do confessor desagradou-lhe. Ela própria teve este desabafo: “não gosto deste padre, porque me contraria nos meus planos”. Nesta deslocação a Tuy, o sacerdote repete-lhe a mesma diretiva, depois de ela ter contado o que lhe acontecera: a morte do seu noivo.

Neste encontro espiritual, o sacerdote jesuíta retoma o grande desafio feito em 1910 e propôs-lhe a fundação de uma obra – os retiros fechados para leigos - muito necessária em Portugal, em resposta à ignorância e preconceitos contra a Igreja, nomeadamente contra as Congregações Religiosas. A sua disponibilidade foi total. Quando se tratava da salvação das almas, ela nunca encontrava dificuldades.

Nestes exercícios, na capela do Noviciado das Irmãs Doroteias, no dia 1 de Abril de 1917, Sílvia Cardoso fez a consagração da sua vida numa entrega total ao Sagrado Coração de Jesus, mediante o voto de castidade perpétua, emitido perante o seu Diretor Espiritual, que lhe ofereceu uma gravura do Sagrado Coração de Jesus, que conservou, pendurada no quarto, durante toda a vida e lá continuou depois da sua morte.

Esta consagração ao Coração de Cristo foi um marco decisivo na sua vida e no seu itinerário espiritual. É de referir que tudo isto nunca implicou a mudança de estado ou condição de leiga, dentro da Igreja.

D. Sílvia refere-se a esta decisão, nos seus escritos espirituais, como tendo sido o dia “em que a sua felicidade teve início”, caracterizada por “uma consolação sem igual” e por uma paz, que nunca antes tinha experimentado, sentindo-se fora de si (escritos pessoais de 5.8.28). Testemunhas várias referem que ela, aí, “decidiu dar-se totalmente ao Senhor e ao apostolado”, dando nova orientação à sua vida: “A partir desta data, a sua atividade sócio-caritativa desenvolveu-se muitíssimo”.

Logo após a consagração, não lhe foi possível realizar a referida obra espiritual. A sua concretização veio a acontecer, mais tarde, em 21 de Janeiro de 1923, com a abertura da Casa de Sequeiros, em Lodares, Lousada, na Diocese do Porto, sendo Diretor dos Exercícios Espirituais o próprio Pe. António Vaz Serra, que se manteve nessa função, até dezembro de 1926.

D. Sílvia, mesmo com o aparecimento de algumas dificuldades, conseguiu manter em funcionamento, nesta diocese do Porto, durante o resto da sua vida, a Obra de Retiros, congregando colaboradores, suportando despesas, rezando e trabalhando incansavelmente, de noite e de dia.

Em 1932, a Obra espalhou-se pelo norte e sul de Portugal, tornando-se a mais querida e “a que mais consolação lhe dava, porque ali se tratava da salvação das almas”.

Podemos dizer que a Venerável Sílvia Cardoso, desde a sua infância, numa família abastada e com educação cristã exemplar, já manifestava inclinação para a piedade cristã, facilitada pela capela da Casa da Torre, onde vivia, lugar onde tantas vezes saboreava o encontro profundo com Deus e o cuidado com os pobres que generosamente acolhia. Qualidades que manteve durante toda a sua vida.

A experiência de um enamoramento desaconselhado, a morte inesperada do noivo, Acácio Umbelino, no Brasil, em novembro de 1913, quando se preparava para o casamento já marcado para maio de 1914, e a conversão à fé cristã deste, antes da morte, foram, para ela, indicadores da vontade de Deus, chamando-a para uma vida de consagração total. Tudo isto fez com que ela soubesse interpretar os desígnios de Deus a seu respeito, e faze-los seus, com total generosidade, tornando-se este ato de consagração a coroa de uma experiência de vida.

Este percurso de crescimento, em grandes qualidades ou dons naturais e sobrenaturais, aponta uma meta: a consagração total, sem deixar o mundo, que a conduziu a uma extraordinária atividade caritativa e evangelizadora até ao fim da vida.

Foi verdadeiramente heroica na prática das virtudes cristãs, como já reconheceu o Papa Francisco, em 27 de março de 2013. A sua vida, em que o “Senhor fez grandes maravilhas” - de que tantos beneficiaram e testemunharam - culminou no dom da Mística da Obra do Amor, como carisma definitivo, com que o Senhor a dotou, para sua santificação e benefício da Igreja.

Pe Samuel Guedes

Vice-postulador

 
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Quer receber as nossas novidades no seu e-mail? Subscreva a nossa Newsletter especificando o seu endereço de e-mail:

Missa da Peregrinação diocesana do Porto de 9 de Setembro 2017

Angelus TV

D. António Maria Bessa Taipa em entrevista à Voz Portucalense
2017-10-11 16:12:03
Powerpoint + PDF
2017-10-09 11:26:12
Recursos gráficos
2017-09-19 13:45:08
Formato ICS (Google, Outlook, iCal, ...)
2017-08-21 15:07:09
Faixa publicitária
Faixa publicitária


© Diocese do Porto, Todos os Direitos Reservados.