POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

Actos Oficiais

 

SETEMBRO

 

NOMEAÇÕES PARA O SERVIÇO DA NOSSA IGREJA DIOCESANA DO PORTO

Manda a Igreja que o Bispo se esforce por que todos os assuntos que pertencem à administração da Diocese sejam devidamente coordenados e se orientem para melhor se promover o bem da porção do povo de Deus que lhe está confiado (cân. 473 § 1).

Por este motivo, tendo em conta as necessidades e possibilidades pastorais de toda a Diocese do Porto e para seu bem espiritual, ouvido o Conselho Episcopal e os próprios, hei por bem nomear, ao abrigo do cân. 157 do Código de Direito Canónico, até decisão em contrário:

Vigararia de Amarante

Pe. Samuel Jorge Soares Coelho (Boa Nova), Pároco de Gondar (Stª Maria), Gouveia (S. Simão), Jazente (Stª Maria) e Padronelo (Stº André), e Adjunto do Vigário da Vara da Vigararia de Amarante.

Pe. Mário Jorge de Sousa Ferreira, Pároco de Aboadela (Stª Maria), Ansiães (S. Paio), Bustelo (S. Mamede), Candemil (S. Cristóvão) e Várzea (S. João Baptista), mantendo a paroquialidade de Fregim (Stª Maria), Louredo (S. João Baptista) e Vila Caiz (S. Miguel).

Pe. Celestin Bizimenyera, Vigário Paroquial de Aboadela (Stª Maria), Ansiães (S. Paio), Bustelo (S. Mamede), Candemil (S. Cristóvão) e Várzea (S. João Baptista), mantendo o mesmo múnus nas paróquias de Fregim (Stª Maria), Louredo (S. João Baptista) e Vila Caiz (S. Miguel).

Pe. Nelson António Vieira Soares, Pároco de Freixo de Cima (S. Miguel) e Freixo de Baixo (Divino Salvador), mantendo os múnus anteriores.

Vigararia de Castelo de Paiva-Penafiel

Pe. Filipe Manuel da Costa e Silva, Pároco de Abragão (S. Pedro), mantendo os múnus anteriores.

Pe. Ariosto dos Santos Nascimento, Vigário Paroquial de Abragão (S. Pedro), mantendo os múnus anteriores.

Vigararia de Matosinhos

Pe. Francisco Andrade Moreira da Costa, Vigário da Vara da Vigararia de Matosinhos, mantendo os múnus anteriores.

Pe. Amaro Gonçalo Ferreira Lopes, Adjunto do Vigário da Vara da Vigararia de Matosinhos, mantendo os múnus anteriores.

Vigararia de Paredes

Pe. Pedro Sérgio Gomes da Silva, Vigário da Vara da Vigararia de Paredes, mantendo os múnus anteriores.

Pe. Paulo Jorge Carvalho Pinto, Adjunto do Vigário da Vara da Vigararia de Paredes, mantendo os múnus anteriores.

Vigararia de Vila Nova de Gaia-Norte

Pe. António Almiro Mendes, Pároco de Afurada (S. Pedro) e Vigário da Vara da Vigararia de Vila Nova de Gaia-Norte, mantendo os múnus anteriores.

Cón. Amadeu Ferreira da Silva, Capelão da Venerável Irmandade de Nossa Senhora do Terço e Caridade, mantendo os múnus anteriores.

Cón. Álvaro Manuel Mancilha Veteriano, Cónego Penitenciário da igreja Catedral, mantendo os múnus anteriores.

Pe. José Pedro da Silva Azevedo, Capelão e Mestre de Cerimónias da igreja Catedral, mantendo os múnus anteriores.

Pe. André Fernando Cardoso Machado, Diretor Adjunto do Secretariado Diocesano da Pastoral da Juventude, mantendo os múnus anteriores.

Pe. Júlio Dinis Osório de Castro Taveira Lobo, em missão de estudos superiores de Teologia Dogmática, em Salamanca, Espanha, mantendo os múnus anteriores.

 

Porto e Paço Episcopal, 30 de setembro de 2019

+ D. Manuel Linda, Bispo do Porto

 

Nomeações para o serviço da nossa Igreja Diocesana do Porto

FAÇO SABER QUE, sendo necessário criar uma equipa de coordenação do projeto pastoral diocesano, que a partir das orientações pastorais do Bispo, em articulação com os diversos órgãos e agentes pastorais, proceda à elaboração de propostas pastorais adequadas e promova a sua dinamização e concretização,  

HEI POR BEM nomear, por um período de três anos, uma Equipa de Coordenação do Projeto Pastoral Diocesano, sob o lema “Como os Ramos da Videira”, assim constituída:

  • D. Armando Esteves Domingues
  • Pe. Amaro Gonçalo Ferreira Lopes
  • Pe. Emanuel António Brandão de Sousa
  • Diác. Jorge Manuel de Sousa Gomes
  • Ana Maria Schulz dos Santos Almeida
  • Elisa Maria da Silva Ferreira Tavares
  • Luís Carlos Pereira Gonçalves
  • Maria dos Prazeres Moreira Machado
  • Marta Isabel Pinto Esteves Cerejo de Sousa
  • Vera Lúcia Pereira da Cruz 

Dada no Porto e Paço Episcopal, aos 30 de setembro de 2019.

 

AGOSTO

DECRETO

FAÇO SABER QUE:

  1. Em março de 2012, o Rev.mo Padre José Fernando Alves Carneiro do Instituto dos Missionários da Consolata manifestou ao Superior Provincial vontade de realizar na Diocese do Porto um ano de experiência pastoral fora do Instituto, com possibilidade de futura incardinação. Após solicitação ao Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, para o acolher na Diocese e obtido o parecer favorável do seu Instituto, foi-lhe confirmada disponibilidade da Diocese do Porto para o acolher e nomear pastoralmente;
  2. Em 25.07.2012, foi nomeado Vigário Paroquial de Valongo (S. Mamede), múnus que exerceu até 02.09.2013;
  3. Em 02.09.2013, foi nomeado Vigário Paroquial de Alfena (S. Vicente), múnus que exerceu até 25.07.2014;
  4. Em 27.12.2013, o Superior Geral do Instituto dos Missionários da Consolata, examinado o pedido do próprio para deixar o Instituto e se incardinar na Diocese do Porto, a carta de disponibilidade do Administrador Apostólico do Porto, D. Pio Gonçalo Alves de Sousa, para o receber na Diocese a título experimental, em ordem a eventual futura incardinação, o parecer favorável do Conselho Geral, concedeu-lhe, a teor do cânone 686 §1, o indulto de exclaustração por 3 anos, a iniciar em 1 de janeiro de 2014;
  5. Em 25.07.2014, foi nomeado Administrador Paroquial de Ovar (S. Pedro) e Válega (Stª Maria), concelho de Ovar, múnus que continua a exercer;
  6. Em 30.05.2019, o Bispo do Porto, D. Manuel da Silva Rodrigues Linda, obtido o parecer favorável do Conselho Episcopal, comunicou ao Superior Provincial do Instituto dos Missionários da Consolata aceitar acolhê-lo definitivamente na Diocese do Porto;
  7. Em 16.07.2019, a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, tendo considerado atentamente as razões apresentadas, visto o voto do Superior Geral e a carta de aceitação do Ordinário do Porto, concedeu que o Sacerdote permaneça definitivamente separado do seu Instituto, de modo que, deposto o hábito religioso, seja incardinado na Diocese do Porto.

HEI POR BEM:

Acolher definitivamente o Padre José Fernando Alves Carneiro e conceder-lhe a incardinação na Diocese do Porto, nos termos dos cânones 265, 267, 269 e 693 do Código de Direito Canónico, integrando-o no Presbitério Diocesano.

DECRETO

FAÇO SABER QUE:

  1. Em 31.05.1973, tendo-se verificado um notável crescimento de população na chamada zona residencial da Boavista e suas imediações, da cidade do Porto, tornando-se necessário prestar uma conveniente assistência religiosa e pastoral a essa população, havendo já um centro de culto e piedade com vida bastante intensa na capela do Seminário Missionário do Padre Dehon, à rua de Azevedo Coutinho, verificando-se as condições necessárias para a construção da nova igreja paroquial, por decreto episcopal de D. António Ferreira Gomes, Bispo do Porto, consultados o Cabido da Catedral, o Conselho Presbiteral da Diocese e os párocos das paróquias vizinhas, foi criada a paróquia experimental de Nossa Senhora da Boavista, Porto, com sede inicial na referida capela do Seminário e, de futuro, na nova igreja a construir, e com a indicação, na forma provisória, dos seus limites;
  2. Em 17.12.1977, foi lançada e benzida a primeira pedra da nova igreja paroquial em cerimónia presidida pelo Pe. Serafim Gomes, Vigário Geral da diocese do Porto;
  3. Em 31.05.1981, terminadas as obras de construção, foi inaugurada a nova igreja, em celebração presidida por D. António Ferreira Gomes, Bispo do Porto;
  4. Desde a criação de paróquia experimental foram criadas estruturas essenciais e serviços indispensáveis ao seu funcionamento pastoral e social;
  5. A comunidade de fiéis está constituída estavelmente, em número e vitalidade eclesial, sob orientação e cura pastoral dos párocos a quem foi confiada;

HEI POR BEM:

  1. Nos termos do cânone 515 do Código de Direito Canónico e ouvidos favoravelmente o Conselho Episcopal, o Conselho Presbiteral, o Conselho de Consultores e os párocos das paróquias vizinhas, decretar a elevação à categoria de paróquia a paróquia, até agora experimental, de Nossa Senhora da Boavista, Porto;
  2. Confirmar a dedicação da paróquia a Nossa Senhora;
  3. Determinar que a paróquia de Nossa Senhora da Boavista, com exceção da Rua São João de Brito e a Rua Beato Inácio de Azevedo, que deixarão de estar ligadas a esta paróquia e passarão a integrar a paróquia de Ramalde, e o Bairro Bessa Leite, a Rua de Ciríaco Cardoso, Rua da Argentina e Rua João Grave, que deixarão de estar ligadas a esta paróquia e passarão a integrar a paróquia de Lordelo do Ouro, tenha os limites inicialmente previstos no decreto de criação de paróquia experimental, especificados da seguinte forma:

NORTE: Via de Cintura Interna até à confluência com a Rua Central de Francos;

LESTE: Rua Central de Francos, desde a confluência com a Via de Cintura Interna, até à confluência com a Rua de Francos, Rua de Francos até à confluência com a Rua de Domingos Machado, e Rua de Domingos Machado;

SUL: Rua de Pedro Hispano, desde a confluência com a Rua de Domingos Machado, até à confluência com a Avenida da Boavista;

OESTE: Avenida da Boavista, desde a confluência com Rua de Pedro Hispano, até à confluência com a Via de Cintura Interna.

JULHO

DECRETO EPISCOPAL

FAÇO SABER QUE:

  1. Em 02.02.1979, tornando-se conveniente criar uma nova paróquia com sede na igreja do Convento dos Reverendos Padres Dominicanos, à Praça de D. Afonso V, desta cidade do Porto, considerando a solicitação da sua criação por muitos fiéis que frequentavam aquela igreja, o desejo da Comunidade dos Padres Dominicanos na sua criação, com sede na sua igreja, a ação intensa desenvolvida por este centro de culto e piedade na zona circunvizinha e a necessidade de planificar a ação religiosa e pastoral dessa zona, por decreto episcopal de D. António Ferreira Gomes, Bispo do Porto, consultados o Conselho Presbiteral da Diocese, a Junta de Coordenação Pastoral, a Comissão Diocesana de Infraestruturas Pastorais e os párocos das paróquias vizinhas, foi criada a paróquia experimental de Cristo Rei, Porto, com sede na igreja do Convento dos Padres Dominicanos, e, de forma provisória, definidos os seus limites;
  2. Em 06.12.1997, procedeu-se à bênção e inauguração oficial do Centro Paroquial, em cerimónia presidida por D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto;
  3. Desde a criação de paróquia experimental foram criadas estruturas essenciais e serviços indispensáveis ao seu funcionamento pastoral e social;
  4. A comunidade de fiéis está constituída estavelmente, em número e vitalidade eclesial, sob orientação e cura pastoral dos párocos a quem foi confiada;

HEI POR BEM:

  1. Nos termos do cânone 515 do Código de Direito Canónico e ouvidos favoravelmente o Conselho Episcopal, o Conselho Presbiteral, o Conselho de Consultores e os párocos das paróquias vizinhas, decretar a elevação à categoria de paróquia a paróquia, até agora experimental, de Cristo Rei, Porto;
  2. Confirmar a dedicação da paróquia a Cristo Rei;
  3. Determinar que a paróquia de Cristo Rei, com exceção do Colégio do Rosário, que deixará de estar ligado a esta paróquia e passará a integrar a paróquia de Ramalde, tenha os limites inicialmente previstos no decreto de criação de paróquia experimental, atualizados nas suas denominações e especificados da seguinte forma:

NORTE: Avenida da Boavista, desde a confluência da Avenida do Marechal Gomes da Costa até à confluência com Rua Dr. Cupertino de Miranda;

POENTE: Rua Dr. Cupertino de Miranda; Rua Pinho Leal, desde a confluência com a Rua Dr. Cupertino de Miranda até à confluência com a Rua de Fez; daqui até à confluência com a Rua do Crasto; Rua do Crasto até à confluência com a Rua de Afonso Baldaia; daqui por uma linha imaginária até à Avenida de Nuno Álvares Pereira; Avenida Nuno Álvares Pereira até à Praça do Império;

SUL: Linha reta que divide a Praça do Império, desde a Avenida Nuno Álvares Pereira até à Rua de Bartolomeu Velho; Rua de Bartolomeu Velho até à confluência da Rua João de Barros; Rua João de Barros até à confluência com a Rua João Rodrigues Cabrilho e Rua João Rodrigues Cabrilho;

NASCENTE: Rua de Gil Eanes; Rua D. João de Castro e Avenida Marechal Gomes da Costa até à confluência com a Avenida da Boavista.

 

Porto e Paço Episcopal, 18 de julho de 2019

+ D. Manuel Linda, Bispo do Porto

 

Nomeações para o serviço da nossa Igreja Diocesana do Porto

 

O concílio Vaticano II acentua bem que uma Diocese não é uma subdivisão administrativa da Igreja universal, mas antes a própria Igreja universal que se manifesta e torna viva num determinado grupo de fiéis: “Diocese é a porção do Povo de Deus, que se confia a um Bispo para que a apascente com a colaboração do presbitério, de tal modo que, unida ao seu pastor e reunida por ele no Espírito Santo por meio do Evangelho e da Eucaristia, constitui uma Igreja particular, na qual está e opera a Igreja de Cristo, una, santa, católica e apostólica” (CD 11).

Sendo do conhecimento geral que, nas atuais circunstâncias, o número de presbíteros é escasso para as necessidades, para que “o Evangelho e a Eucaristia” constituam efetivo sustento espiritual dos fiéis da vasta Diocese do Porto, os sacerdotes têm-se «desdobrado» em múltiplas tarefas e funções. É verdadeiramente notório o zelo pastoral e a dedicação solícita da generalidade desses sacerdotes que, conhecendo a realidade, ousam assumir sobrecargas de trabalhos que o comum dos fiéis recusaria. A eles o meu muito obrigado e a certeza de uma imensa consideração.

Desde há muito, a Diocese do Porto, onde nasceram muitos religiosos e missionários, habituou-se, também, a contar com a preciosa ajuda de membros das diversas Ordens e Congregações. Também lhes manifesto o meu reconhecimento, pois sem eles não possuiríamos a mesma força para sermos uma “Igreja em saída”, na certeza de que “a alegria do Evangelho é a nossa missão”.

Igual agradecimento dirijo àqueles a quem, por motivos de idade ou doença, tive de aceitar o seu pedido de renúncia: saibam que, como zelosos dispensadores do Evangelho ao longo de décadas e décadas, por vezes em condições dificílimas, “têm os seus nomes inscritos no Céu” (lc 10, 20) e no coração dos seus «fregueses», a quem acompanharam nos momentos de júbilo e de dor. E têm-no também no meu.

Ouvido o Conselho Episcopal e os próprios, para o bem espiritual desta Diocese do Porto, ao abrigo do cân. 157 do Código de Direito Canónico, nomeio, até decisão em contrário, os seguintes ministros ordenados:

 

SEMINÁRIOS

Dom Vitorino José Pereira Soares, Reitor do Seminário Maior.

Pe. José Pedro da Silva Azevedo, Diretor Espiritual do Seminário Maior, mantendo os múnus anteriores, exceto o de chefe do Gabinete Episcopal.

Pe. João Pedro Serra Mendes Bizarro, Prefeito do Seminário Maior.

Pe. Vasco Alexandre Domingues Soeiro, Prefeito do Seminário Maior, em acumulação com a paroquialidade de Nogueira (Stª Maria) e Silva Escura (Stª Maria).

 

Pe. Avelino Ricardo Teixeira da Silva, Prefeito do Seminário do Bom Pastor.

Pe. Luís Borges Martins, Diretor Espiritual do Seminário do Bom Pastor, mantendo os múnus anteriores.

 

PARÓQUIAS

Vigararia de Amarante

Diác. Filipe Martins de Sousa Vales, para exercer o ministério diaconal nas Paróquias de Amarante (S. Gonçalo), Cepelos (Nª Srª da Assunção), Madalena (Stª Maria Madalena) e São Veríssimo, sob a orientação do respetivo Pároco e em dependência formativa do Seminário.

Vigararia de Castelo de Paiva-Penafiel

Pe. André Fernando Cardoso Machado, pároco de Paraíso (S. Pedro), mantendo os múnus anteriores.

Pe. Fernando Sérgio Pereira Fernandes, pároco de Sardoura (Stª Maria), mantendo os múnus anteriores.

Pe. Tiago Filipe da Costa Santos, pároco de Lomba (Stº António), Pedorido (Stª Eulália) e Raiva (S. João Baptista).

Vigararia de Espinho-Ovar

Pe. Manuel Monteiro Mendes, pároco de Esmoriz (Stª Maria), mantendo o múnus de Assistente Nacional da Pastoral Familiar.

Vigararia de Gondomar

Pe. Francisco Manuel Costa (Dehoniano), pároco de Fânzeres (Divino Salvador).

Pe. Júlio Cunha Ramos (Capuchinho), administrador paroquial de Foz do Sousa (S. João Baptista).

Vigararia de Lousada

Pe. André David de Vasconcelos Aguiar Soares, pároco de Sousela (Nª Srª da Expectação), Covas (S. João Evangelista) e Nespereira (S. João Evangelista), mantendo os múnus anteriores.

Pe. Micael Danilo Brito da Silva, vigário paroquial de Caíde de Rei (S. Pedro), Meinedo (Stª Maria Maior), Sousela (Nª Srª da Expectação), Covas (S. João Evangelista) e Nespereira (S. João Evangelista).

Vigararia da Maia

Pe. João Emanuel Pinheiro Pereira, pároco de Avioso (S. Pedro) e Avioso (Stª Maria).

Pe. Vasco Alexandre Domingues Soeiro, pároco de Nogueira (Stª Maria) e Silva Escura (Stª Maria), em acumulação com o múnus de Prefeito do Seminário Maior.

Diác. José Almonte Jesús, para exercer o ministério diaconal na Paróquia de Moreira (Divino Salvador) e Mosteiró (S. Gonçalo), sob a orientação do respetivo Pároco e em dependência formativa do Seminário.

Vigararia de Marco de Canaveses

Pe. Samuel André Carvalhas Félix, pároco de Freixo (Stª Maria), Manhuncelos (S. Mamede) e Tuías (Divino Salvador).

Pe. José Carlos Lima Rosa, Pároco de Vila Boa do Bispo (Stª Maria), mantendo os múnus anteriores.

Vigararia de Matosinhos

Pe. Emanuel António Brandão de Sousa, pároco de Matosinhos (Salvador), mantendo os múnus de Diretor Espiritual da Legião de Maria e de Assistente do Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar.

Vigararia de Oliveira de Azeméis-S. João da Madeira

Pe. Joaquim José dos Santos Campos, administrador paroquial de Vila Chã de S. Roque (S. Pedro).

Diác. José da Silva Coelho, para exercer o ministério diaconal na Paróquia de S. João da Madeira (S. João Baptista), sob a orientação do respetivo Pároco e em dependência formativa do Seminário.

Vigararia de Paredes

Pe. Arlindo Rafael da Silva Teixeira, pároco de Castelões de Cepeda (S. Salvador) e Madalena (Stª Maria Madalena).

Pe. Felisberto Vilinga (Diocese de Huambo), administrador paroquial de Baltar (S. Miguel) e Rebordosa (S. Miguel), durante um ano, mantendo os múnus anteriores.

Pe. Mário João Ferraz da Rocha Soares, concedida autorização para exercer missão de trabalho pastoral, durante um ano, com Missionários do Espírito Santo, em Moçambique.

Pe. João Nélio Simões Pereira (Dehoniano), pároco de Besteiros (S. Cosme e S. Damião) e Sobrosa (Stª Eulália).

Pe. Marcelino Teixeira de Freitas (Dehoniano), pároco de Cristelo (S. Miguel) e Duas Igrejas (Stª Maria).

Pe. Igor André Barbosa de Oliveira (Dehoniano), vigário paroquial de Besteiros (S. Cosme e S. Damião), Sobrosa (Stª Eulália), Cristelo (S. Miguel) e Duas Igrejas (Stª Maria).

Vigararia de Santo Tirso

Pe. Luís Manuel Cordeiro da Silva Mateus, pároco de Fontiscos (S. Bartolomeu) e Couto (S. Miguel), mantendo os múnus anteriores.

Pe. Manuel Joaquim Cantilal Pinto, pároco de Couto (Stª Cristina), mantendo os múnus anteriores.

Pe. Manuel Torres Fernandes Ramos, pároco de Rebordões (S. Tiago), mantendo os múnus anteriores.

Pe. Miguel Filipe de Freitas Coelho, pároco de Negrelos (S. Tomé), mantendo os múnus anteriores.

Diác. Fernando Carvalho do Vale, para exercer o ministério diaconal na Paróquia de Santo Tirso (Stª Maria Madalena), Fontiscos (S. Bartolomeu) e Couto (S. Miguel).

Diác. Misael Fermín Fermín Calderón, para exercer o ministério diaconal na Paróquia de Santo Tirso (Stª Maria Madalena), Fontiscos (S. Bartolomeu) e Couto (S. Miguel), sob a orientação do respetivo Pároco e em dependência formativa do Seminário.

Vigararia de Valongo

Diác. César Abílio Ventura Pinto, para exercer o ministério diaconal na Paróquia de Valongo (S. Mamede), sob a orientação do respetivo Pároco e em dependência formativa do Seminário.

Vigararia de Vila Nova de Gaia-Norte

Pe. Carlos Alberto da Costa Correia (Boa Nova), pároco de Valadares (Divino Salvador) e Vilar do Paraíso (S. Pedro).

Vigararia de Vila Nova de Gaia-Sul

Pe. Jorge Manuel da Rocha Nunes, pároco de Arcozelo (S. Miguel), mantendo os múnus anteriores.

 

SERVIÇOS

Pe. Vítor Emanuel Dionísio Ramos, chefe do Gabinete Episcopal, mantendo o múnus de secretário das Associações Religiosas.

 

OUTROS

Cón. José Alfredo Ferreira da Costa, concedida autorização para, a seu pedido, realizar um tempo sabático.

Pe. João Emanuel Pinheiro Pereira, em missão de estudos superiores de Direito Canónico, em Salamanca, Espanha, em acumulação com os restantes múnus.

Pe. Paulo Sérgio Silva Godinho, em missão de estudos superiores de Teologia Dogmática, em Salamanca, Espanha, em acumulação com os restantes múnus.

Pe. Vítor Emanuel Dionísio Ramos, em missão de estudos superiores de Direito Canónico, em Salamanca, Espanha, em acumulação com os restantes múnus.

 

Porto e Paço Episcopal, 22 de julho de 2019

+ D. Manuel Linda, Bispo do Porto

 

FAÇO SABER QUE, tornando-se pastoralmente indispensável a criação de Centros Catecumenais Vicariais e do Centro Catecumenal Diocesano e sendo necessário o cumprimento do previsto no Plano Pastoral Diocesano para 2019/2022,

HEI POR BEM, nomear o Pe. José Pedro da Silva Azevedo diretor do Centro Catecumenal Diocesano, por um período de três anos, encarregá-lo da constituição do referido Centro, confiar-lhe o encargo de apoiar os Centros Catecumenais Vicariais e incentivar a criação de Centros em todas as Vigararias que ainda os não possuem.

Porto e Paço Episcopal, 09 de julho de 2019.

 

JUNHO

FAÇO SABER QUE, sendo necessário prover ao cuidado pastoral na área da liturgia diocesana, no serviço de Acólitos,

HEI POR BEM nomear José Manuel Cunha Campos, Diretor do Serviço Diocesano de Acólitos, Departamento do Secretariado Diocesano de Liturgia.

Porto e Paço Episcopal, 26 de junho de 2019.

DECRETO EPISCOPAL

 

“Compete ao Bispo diocesano governar a Igreja particular que lhe foi confiada” (cân. 391 §1), promovendo as mudanças que acha mais oportunas para o bem de toda a comunidade cristã.

 

. Sendo necessário prover ao ofício abaixo indicado;

. Tendo sido denegado o recurso hierárquico cujo autor foi o Rev. Pe. Jorge Manuel Madureira Soares, em conformidade com o direito;

. Tendo o referido sacerdote sido nomeado por Decreto de 11 de março de 2019, e não tendo tomado posse no prazo nele indicado;

. Tendo, de muitas vezes e de muitos modos, procurado, com solicitude pastoral, uma solução que fosse do agrado do presbítero acima indicado, sem qualquer aceitação da sua parte, e sendo minha obrigação procurar que os sacerdotes “cumpram devidamente as obrigações próprias do seu estado” (cân. 384);

. Sendo obrigação do Bispo governar a Diocese tendo em conta o bem de toda a comunidade eclesial e obrigação do presbítero obedecer, não só em palavras, mas sobretudo com gestos concretos ao próprio Bispo;

DECRETO

1. A confirmação da nomeação do Rev. Pe. Jorge Manuel Madureira Soares como Vigário Paroquial das Paróquias do Candal (Senhor da Vera Cruz) e Santa Marinha, Vigararia de Vila Nova de Gaia-Norte, em conformidade com o Decreto de 11 de março de 2019;

2. A prorrogação do prazo para tomar posse deste ofício por um período de 20 dias a contar da data de notificação do presente Decreto;

3. Que a tomada de posse se faça perante Delegado do Bispo Diocesano, em conformidade com as normas do direito universal e particular;

4. O incumprimento do presente Decreto acarreta uma grave falta de desobediência, em conformidade com o cân. 1371, 2.º.

Porto e Paço Episcopal, 19 de junho de 2019.

 

DECRETO EPISCOPAL

 

“Compete ao Bispo diocesano governar a Igreja particular que lhe foi confiada” (cân. 391 §1), promovendo as mudanças que acha mais oportunas para o bem de toda a comunidade cristã.

. Sendo necessário prover ao ofício abaixo indicado;

. Tendo sido denegado o recurso hierárquico cujo autor foi o Rev. Pe. Hélder Saul Ribeiro Barbosa, em conformidade com o direito;

. Tendo o referido sacerdote sido nomeado por Decreto de 11 de março de 2019, e não tendo tomado posse no prazo nele indicado;

. Tendo, de muitas vezes e de muitos modos, procurado, com solicitude pastoral, uma solução que fosse do agrado do presbítero acima indicado, sem qualquer aceitação da sua parte, e sendo minha obrigação procurar que os sacerdotes “cumpram devidamente as obrigações próprias do seu estado” (cân. 384);

. Sendo obrigação do Bispo governar a Diocese tendo em conta o bem de toda a comunidade eclesial e obrigação do presbítero obedecer, não só em palavras, mas sobretudo com gestos concretos ao próprio Bispo;

DECRETO

 

1. A confirmação da nomeação do Rev. Pe. Hélder Saul Ribeiro Barbosa como Capelão do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa - Hospital Padre Américo, Penafiel, em conformidade com o Decreto de 11 de março de 2019;

2. A prorrogação do prazo para tomar posse deste ofício por um período de 20 dias a contar da data de notificação do presente Decreto;

3. Que a tomada de posse se faça perante Delegado do Bispo Diocesano, em conformidade com as normas do direito universal e particular;

4. O incumprimento do presente Decreto acarreta uma grave falta de desobediência, em conformidade com o cân. 1371, 2.º.

Porto e Paço Episcopal, 19 de junho de 2019.

 

FAÇO SABER QUE, sendo necessário prover a assistência religiosa da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Arrifana, Santa Maria da Feira,

HEI POR BEM, nos termos do cânone 682 § 1 e com o assentimento do Superior Provincial do Instituto dos Filhos da Caridade, nomear o Padre José Manuel Pereira de Andrade, Capelão da referida Associação, em acumulação com os múnus anteriores.

Porto, 11 de junho de 2019

+ Manuel Linda


DECRETO EPISCOPAL

FAÇO SABER QUE:

  1. Em 26.09.1963, tornando-se necessário e urgente prover ao bem espiritual de centenas de famílias que habitavam na zona suburbana de Brás-Oleiro e Corim, pertencente parte à paróquia de Pedrouços e parte à de Águas Santas, foi nomeado Capelão da referida zona e respetivas Capelas por D. Florentino de Andrade e Silva, Administrador Apostólico do Porto, o Revº Padre Godofredo Américo da Rocha Domingues da Silva, tendo-lhe sido atribuída autonomia quanto ao apostolado e ao culto das mencionadas Capelas, mas em coordenação com os Rev.os Párocos das duas paróquias referidas;
  2. Em 10.06.1964, por determinação de D. Florentino de Andrade e Silva, Administrador Apostólico do Porto, mercê do trabalho pastoral desenvolvido pelo Capelão, para maior facilidade, apoio, eficácia e plenitude de apostolado, a partir do dia 13.06.1964, festa litúrgica de Santo António, foram-lhe conferidos poderes eclesiásticos mais amplos, ficando o Revº Padre Godofredo Américo da Rocha Domingues da Silva investido em jurisdição quase paroquial sobre as populações da zona de Corim e lugares circunvizinhos, com indicação dos limites provisórios do território;
  3. Em 10.01.1982, festa do Batismo do Senhor, foi lançada e benzida a primeira pedra da igreja paroquial em cerimónia presidida por D. António Ferreira Gomes, Bispo do Porto;
  4. Em 13.06.1993, festa de Santo António, terminadas as obras de construção, procedeu-se à bênção e dedicação da nova igreja paroquial, em celebração presidida por D. Júlio Tavares Rebimbas, Arcebispo-Bispo do Porto;
  5. Desde a criação de paróquia experimental foram criadas estruturas essenciais e serviços indispensáveis ao seu funcionamento pastoral e social;
  6. A comunidade de fiéis está constituída estavelmente, em número e vitalidade eclesial, sob orientação e cura pastoral do pároco a quem foi confiada;

HEI POR BEM:

  1. Nos termos do cânone 515 do Código de Direito Canónico e ouvidos favoravelmente o Conselho Episcopal, o Conselho Presbiteral, o Conselho de Consultores e os párocos das paróquias vizinhas, decretar a elevação à categoria de paróquia a paróquia, até agora experimental, de Santo António de Corim, Gondomar;
  2. Confirmar a dedicação da paróquia a Santo António;
  3. Determinar que a paróquia de Santo António de Corim tenha os limites inicialmente previstos no decreto de criação de paróquia experimental especificados da seguinte forma:

NORTE: Rua da Piedade, desde o seu início a este, Rua Manuel Francisco de Araújo em direção a oeste, Rua de D. Afonso Henriques em direção a sul, Rua do Calvário em direção a oeste, Travessa do Monte, desde o cruzamento com a Rua do Calvário em direção a sul, Rua do Monte em direção a oeste, Rua Alexandre Herculano até ao cruzamento com a Travessa Nova do Corim, Travessa Nova do Corim em direção a oeste, Rua Padre Grilo, perpendicular ao caminho de ferro da cintura;

POENTE: uma linha paralela, desde o último ponto indicado, ao longo do caminho de ferro da cintura em direção a sul, perpendicular à Vereda Doutor António dos Santos, Rua Doutor António dos Santos em direção a sul, Rua Particular de S. Gemil, Rua do Pandelo em direção a oeste; deste ponto, uma linha paralela ao longo do caminho de ferro da cintura em direção a oeste até à passagem de nível na Rua de Guerra Junqueiro, esta mesma Rua em direção a sul até ao entroncamento na Rua de D. Afonso Henriques;

SUL: desde o último ponto indicado, Rua Mouzinho de Albuquerque em direção a este, Rua Jorge de Sena em direção a sul, Alameda Mãos à Obra em direção a este, cruzamento com a avenida das Forças Armadas, Rua Lilases em direção a este, até à ponte do caminho de ferro, chamada do Rio de Fora; Em linha paralela ao mesmo caminho de ferro para sul até ao final da Travessa do Rio de Fora;

NASCENTE: No final da Travessa do Rio de Fora, uma linha para este em direção ao cruzamento da Avenida das Forças Armadas com a Rua João Vieira, esta mesma Rua em direção a este e, no lugar de Fontelo, a partir da Rua João Vieira, uma linha perpendicular para norte em direção à Rua da Restauração, no Lugar de Penouço; deste último ponto, cruzamento com a Rua António Marques de Sá e desta em direção a este uma linha reta até à Travessa da Granja e em direção a norte até à linha do caminho de ferro do Douro e Minho; Paralela à linha do caminho de ferro do Douro e Minho, e ainda em direção a norte, até à Rua Doutor Mário Cal Brandão e aqui até ao cruzamento com a Rua Abel Salazar e início, a este, da Rua da Piedade.

Porto, 13 de junho de 2019

+ Manuel Linda

 

MAIO

FAÇO SABER QUE, sendo necessário prover ao cuidado pastoral da Paróquia de São Pedro do PARAÍSO, da Vigararia de Castelo de Paiva - Penafiel, da Região Pastoral Nascente,

HEI POR BEM confiá-la aos cuidados pastorais do presbítero ANDRÉ FERNANDO CARDOSO MACHADO, que nomeio ADMINISTRADOR PAROQUIAL da mesma, em acumulação com a paroquialidade de São Miguel de Bairros, São Pelágio de Fornos e Santa Marinha de Real.

FAÇO SABER QUE, sendo necessário prover ao cuidado pastoral da Paróquia de Santa Maria de SARDOURA, da Vigararia de Castelo de Paiva - Penafiel, da Região Pastoral Nascente,

HEI POR BEM confiá-la aos cuidados pastorais do presbítero FERNANDO SÉRGIO PEREIRA FERNANDES, que nomeio ADMINISTRADOR PAROQUIAL da mesma, em acumulação com a paroquialidade de São Martinho de Sardoura e Nossa Senhora da Assunção de Sobrado.

FAÇO SABER QUE, sendo necessário instituir a equipa diocesana a que se refere o ponto 7 do nº 3 do documento “Anunciar o Evangelho da Família é a nossa missão”, sobre os desafios pastorais da família na Diocese do Porto à luz da «Amoris laetitia»,

 

HEI POR BEM nomear «ad experimentum», por um período de três anos, à base do cân. 394, conjugado com o cân. 381:

1. Os seguintes casais, peritos em ciências humanas:

Áurea da Conceição Alves Pinto Fernandes e Sisnando Tiago de Sousa Teixeira

Graça Maria Faria Valente dos Reis e Jorge Manuel da Silva Reis

Maria Artur Cuba de Araújo Barros e Ângelo Gomes Couto Soares

Maria Helena da Cruz Viegas Mateus e Manuel Raul Botelho Secretário Bonito

2. Os seguintes colaboradores na área jurídica:

Maria Estrela Lima Santos

Rui Miguel de Oliveira Santos

 

3. Os seguintes sacerdotes, já ligados à pastoral familiar:

Pe. Emanuel António Brandão de Sousa

Pe. José Ribeiro da Mota

Pe. Luciano Alberto da Silva Lagoa

Pe. Manuel Monteiro Mendes

Pe. Vítor Nelson Santos Pacheco

 

Porto, 8 de maio de 2019

+ Manuel Linda

 

JANEIRO

FAÇO SABER QUE, sendo necessário prover ao governo da Obra Diocesana de Promoção Social, com sede na Rua D. Manuel II, 14, cidade, concelho e Diocese do Porto, HEI POR BEM nomear os Órgãos Gerentes para o quadriénio de 2019-2022, assim constituídos:

Conselho de Administração:

  • Presidente: Manuel Maria Moreira
  • Secretário: João Salvador Velez Pacheco de Amorim
  • Tesoureiro: Vítor Manuel de Vasconcelos Gonçalo
  • Vogal: Maria Filomena Castro Costa Osswald
  • Vogal: Vítor Emanuel Lopes de Andrade de Almeida Devesa

Conselho Fiscal:

  • Presidente: Pe. André David de Vasconcelos Aguiar Soares
  • Secretário: José Maria Gagliardini Graça da Silveira Montenegro
  • Vogal: Francisco José Marques Ferreira

Porto, 17 de janeiro de 2019

+ Manuel Linda