POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

 

Ao Povo de Deus das Vigararias de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira,

especialmente aos Vigários da Vara e demais sacerdotes e diáconos

 

Governantes e autoridades de saúde puseram-me ao corrente de alguns dados de transmissão de contágios da pandemia. Ressaltando sempre que a Igreja tem sido exemplaríssima na organização das celebrações, chamam a atenção, entretanto, às festas sociais que habitualmente se seguem aos grandes acontecimentos religiosos: Crismas, Primeiras Comunhões, Profissões de Fé, Casamentos, Batizados, etc.

Porque, como dirigentes da comunidade, assumimos específicas responsabilidades morais e porque o bem comum faz parte da doutrina que pregamos, solicito:

  1. Até decisão em contrário, continuemos a manter as celebrações das Missas habituais e sacramentos inadiáveis, reforçando, porém, as conhecidas medidas de segurança. Que nunca haja descuidos.
  2. Adiem-se, até finais de novembro, as celebrações comunitárias de Crismas, Comunhões e Profissões de Fé. Nessa altura, avaliar-se-á novamente se poderemos ou não remarcar essas celebrações.
  3. Os Casamentos, Batizados e outras celebrações são momentos de justificado júbilo. Recorde-se, contudo, às comunidades e aos diretamente interessados que as celebrações familiares ou em grupo, que habitualmente se lhes seguem, podem transformar-se em ocasião de novas infeções. Por isso, pede-se a compreensão de todos e que, exceto em casos de justificada urgência, se adiem mais algum tempo.
  4. Em tudo o mais, valham as regras do bom senso. E que os sacerdotes e diáconos privilegiem uma função pedagógica e educadora que nos está inerente enquanto guias da comunidade.

Porto, 22 de outubro de 2020

+ Manuel, Bispo do Porto