POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

A doçura, a mansidão e a misericórdia de D. António Francisco


Na quarta-feira dia 11 de setembro, pelas 19 horas teve lugar uma Missa na Catedral do Porto no segundo aniversário do falecimento de D. António Francisco dos Santos, bispo do Porto entre 2014 e 2017.

Na diocese do Porto a data de 11 de setembro passou a ser, a partir deste ano, o dia anual de sufrágio pelos bispos, sacerdotes e diáconos já falecidos.

Presidiu a esta celebração D. Manuel Linda, atual bispo do Porto. Presentes D. Pio Alves, bispo auxiliar, D. António Taipa, bispo auxiliar emérito e D. Vitorino Soares, bispo auxiliar nomeado pelo Papa Francisco e que será ordenado no próximo domingo dia 29 de setembro. Muitos os sacerdotes que participaram nesta celebração.

Na sua homilia, D. Manuel Linda referiu as bem-aventuranças e salientou cinco aspetos essenciais a este propósito:

  • Caraterizam o verdadeiro discípulo;
  • Assinalam uma dificuldade do presente que será alegria de futuro;
  • Definem o conceito de justo dizendo que justo é aquele que cumpre as bem-aventuranças;
  • São a carta magna do reino de Deus, pois, o reino do mundo é de violência. Neste particular, o bispo do Porto recordou o 18º aniversário da “monstruosidade” do ataque às Torres Gémeas em Nova Iorque e um facto recente, ocorrido na diocese: o homicídio de uma religiosa da Congregação das Servas de Maria, a Irmã Antónia, que vivia o carisma de missionária dos enfermos;
  • As bem-aventuranças são a certeza que Deus não esquece os sofredores.

O bispo D. António Francisco dos Santos – frisou D. Manuel Linda – foi exemplo da vivência das bem-aventuranças através de uma “simplicidade” contagiante e atrativa. A “simplicidade” é aquilo que “cativa”, pois, “a soberba afasta” – assinalou.

O bispo do Porto afirmou mesmo três características que D. António Francisco dos Santos soube levar a todos os trabalhos e missões que serviu, em particular, na diocese do Porto: a doçura, a mansidão e a misericórdia.

D. Manuel Linda, fazendo memória de todos os ministros ordenados que serviram a diocese, nesta celebração que os recordou particularmente, declarou ser D. António Francisco dos Santos um verdadeiro exemplo desse serviço.

Lembrando o lema episcopal de D. António Francisco, “In manus Tuas”, D. Manuel Linda declarou, no final da sua homilia, que o antigo bispo do Porto é “um dos maiores cartões de apresentação da Igreja do Porto”.

(RS)