POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

Apresentado projeto de reabilitação da Igreja e Claustro de São Gonçalo de Amarante


No passado dia 29 de julho foi apresentado o projeto de reabilitação, conservação e restauro da Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo em Amarante. A apresentação pública teve lugar na própria igreja de São Gonçalo sendo anfitrião o pároco, o padre José Manuel Ferreira e na qual estiveram presentes o presidente do Município de Amarante, José Luís Gaspar, o bispo auxiliar do Porto, D. Pio Alves, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte (CCDRN), Fernando Freire de Sousa, o presidente da Direção Regional da Cultura do Norte (DRCN), António Ponte, um membro do Conselho Económico da Paróquia, Emanuel Lima, e ainda a arquiteta responsável pelo projeto, Joana Araújo.

Na ocasião o presidente da Câmara de Amarante, José Luís Gaspar garantiu “o apoio” e o “envolvimento do município” e assinalou que “este monumento nacional que tanto orgulha os amarantinos é parte “do postal” da nossa cidade, ao qual ninguém fica indiferente. Sendo ‘a casa’ do Santo Padroeiro, São Gonçalo, é representativo da nossa identidade e parte de um património que é importante preservar” – afirmou.

Por sua vez o pároco, padre José Manuel Ferreira, sublinhou que “esta é uma obra aguardada por todos há muitos anos. Em 2015 começamos a trabalhar neste projeto de recuperação de grande importância para a paróquia, para a cidade e para a região Norte, Douro e Trás-os-Montes que fica, assim, com o espaço patrimonial revigorado”.

O projeto conta com um investimento total de mais de dois milhões de euros (2.193.175,01€), dos quais 819.425,20€ provêm do Norte 2020 – Programa Operacional Região Norte que tem com objetivo a reabilitação e conservação arquitetónica e artística do monumento projetando-o com valor de uso cultural, social, funcional, económico e turístico.

A intervenção será feita através de uma empreitada que vai decorrer em todo o edifício (coberturas, pisos, paredes, vãos) e recheio artístico (retábulos, esculturas, pinturas murais, painéis azulejares, entre outros) e arrancará no início de setembro, tendo uma duração prevista de 480 dias.

Apresentada no final de julho de 2019, a candidatura para a Conservação e Valorização da Igreja e Claustro de São Gonçalo em Amarante foi aprovada no final de 2019. Liderada pela Paróquia de Amarante, a candidatura conta com autorização da Direção Geral do Tesouro e Finanças, proprietário do Edifício, e com o apoio da Direção Regional de Cultura do Norte, no acompanhamento, na elaboração de projeto e na execução da obra, e do Município de Amarante, como parceiro efetivo desta operação, dada a importância deste Monumento Nacional para a cidade, para a sub-região Tâmega e Sousa e para a região Norte. Tem ainda o apoio de entidades privadas, como a Fundação Manuel António da Mota, e em breve espera contar com o apoio da comunidade Amarantina.

A Igreja e Claustro de São Gonçalo de Amarante é um dos monumentos mais visitados na região Norte, situado no Tâmega e Sousa. Classificado Monumento Nacional em 1910, desde a sua construção, no século XVI, que este monumento nacional nunca tinha tido uma intervenção global no edifício, mas apenas acrescentos e pequenas obras de reparação.

Esta obra visa potenciar a Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo no desenvolvimento da Região Norte no âmbito do Turismo Cultural e Religioso, considerando que se trata de um Monumento no Caminho de Santiago e nos Caminhos de São Gonçalo.

A Igreja de São Gonçalo recebe uma média anual de 60 mil visitantes.

RS