POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

Comunicado - imóvel "ilha da oliveira"


A diocese do Porto era proprietária de um imóvel, conhecido pelo nome de “ilha da oliveira”, sito na Rua de Burgães. Imóvel esse adquirido numa doação ao seminário maior do Porto. Trata-se, como o nome indica, de uma “ilha” muito típica da cidade do Porto para habitação. Neste momento, este espaço habitacional apresenta muito más condições para habitação.

Podemos dizer: condições sub-humanas e insalubres, pondo em causa a saúde pública e das pessoas que lá residem. A diocese do Porto, em algumas ocasiões, teve que fazer intervenções profundas e de urgência, ao nível de esgotos daquela estrutura, para que aqueles que lá vivem não corressem perigo. Não é possível manter pessoas a viver naquele lugar, com aspeto de ruína e acrescentos completamente ilegais e inseguros que ao longo dos anos, os inquilinos foram construindo, com materiais de má qualidade. Foi por isso, que a Diocese do Porto decidiu alienar aquele património.

A diocese do Porto visou garantir o bem-estar das pessoas ao alienar aquela “ilha” e tem feito tudo, quer no diálogo com o novo proprietário quer nos serviços centrais de gestão do património diocesano para arranjar soluções para estes inquilinos. Neste momento, estamos a trabalhar para encontrar soluções, a própria diocese está com obras de requalificação e restauro em apartamentos, no centro da cidade do Porto, que ficarão prontas, num curto espaço de tempo. Muito antes dos prazos dos contratos de arrendamento terminarem: março de 2022. Estes apartamentos, que têm bastante procura, estão livres, porque decidimos, há bastante tempo, destiná-los a situações de emergência como esta.

Mantemos a nossa maior atenção, diocese e novo proprietário, para que nos prazos estabelecidos se encontre a maior e melhor resposta para o bem de todos. Foi esta, e será sempre assim, a nossa postura. Não podia ser de outra forma.