POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

Igreja de Freamunde designada “embaixadora do prémio internacional de arquitetura sagrada”


O projeto vencedor foi a igreja Seliger Pater Rupert Mayer, na Alemanha, e o segundo prémio foi para o Santuário Señor de Tula, no México. 

Foram conhecidos no final deste mês de julho os vencedores do Prémio Internacional de Arquitetura Sacra da Fundação Frate Sole em Pavia, Itália. O projeto vencedor foi a igreja Seliger Pater Rupert Mayer, na Alemanha, e o segundo prémio foi para o Santuário Señor de Tula, no México, segundo informa o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

A Igreja Paroquial do Divino Salvador de Freamunde com o projeto assinado pelo gabinete de Vítor Leal de Barros foi distinguida como “embaixadora do prémio internacional de arquitetura sagrada” para o quadriénio 2020-2024.

Entretanto, a capela Cohen, concebida pelo português Joaquim Portela, e localizada nos Alpes suíços, foi distinguida com o terceiro lugar neste Prémio Internacional.

A escolha foi feita pelo júri composto pelo Arq.º Tadao Ando, o Arq.º Cristian Undurraga e pelo Presidente da Fundação Frate Sole, Luigi Leoni.

Recordemos que o projeto da Igreja do Divino Salvador de Freamunde tinha sido selecionado entre os 10 finalistas à VII edição deste Prémio Internacional da Fundação Frate Sole. Uma seleção feita de entre as 114 que foram propostas a concurso enviadas de todo o mundo.

A igreja do Divino Salvador de Freamunde, no Concelho de Paços de Ferreira, Diocese do Porto, foi dedicada a 1 de dezembro de 2019 e é um projeto do arquiteto Vítor Leal Barros. Um investimento de 2,5 milhões de euros que permitiu que a comunidade paroquial passasse a ter uma nova igreja com uma capacidade para 600 pessoas, uma sacristia, casa mortuária e uma sala polivalente.

Casa da alegria para todos

Na celebração da Dedicação daquela que é a Igreja Paroquial de Freamunde o bispo do Porto afirmou que aquela nova Igreja será “uma casa da alegria para todos”. D. Manuel Linda, na sua homilia, fez votos de que esta casa de oração seja expressão e instrumento de uma “revitalização do corpo eclesial da Paróquia de Freamunde, sinal de uma comunidade cristã que já é viva e que o será cada vez mais”.

“Esta Igreja seja uma Casa da alegria, onde não falte o riso de contentamento pela criança que é batizada ou recebe a Eucaristia pela primeira vez; a alegria de quem reconstrói o coração no sacramento da penitência; a alegria dos esposos que fazem aqui as suas promessas de amor eterno; a alegria da esperança cristã, mesmo quando choramos a morte e celebramos a última Páscoa dos que partem antes de nós. Esta seja a Casa onde celebramos os mais elevados sentimentos da alegria e da felicidade, que nos vem da fé em Jesus Cristo. Sejamos felizes aqui” – disse o bispo do Porto na celebração de Dedicação da Igreja Paroquial de Freamunde no dia 1 de dezembro de 2019.

Arquitetura e ressonância espiritual

De destacar que nessa celebração o pároco de Freamunde, padre Manuel Luís Leão Pacheco de Brito, afirmou que aquela nova igreja é “muito mais que um edifício”, mas sim “um sinal da comunidade que se edifica permanentemente na fé, na esperança, no amor, na partilha fraterna e na missão de ser testemunha de Jesus Cristo”.

“Foi assim que nasceu a Igreja do Divino Salvador” – salientou o padre Brito assinalando que esta “está edificada sobre a rocha firme” devendo ser olhada a partir da sua “implantação, no seu enquadramento, no seu volume, na sua brancura, nos seus materiais”.

“O despojamento e a essencialidade encontram aqui espaço, cada elemento arquitetónico ganha aqui ressonância espiritual” – afirmou o padre Brito nas palavras que a todos dirigiu na Dedicação da Igreja do Divino Salvador de Freamunde em dezembro de 2019. Concluiu frisando que “esta igreja será sempre um sinal desta comunidade que se reúne para escutar a Palavra, para celebrar os mistérios da fé, para fortalecer os gestos da comunhão fraterna e para se fortalecer para a missão”.

Foi agora distinguida com a designação de “embaixadora do prémio internacional de arquitetura sagrada” entre 2020 e 2024.

RS