POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

Páscoa 2020: Mensagens pascais dos bispos das dioceses de Portugal


Os bispos diocesanos das 21 dioceses de Portugal gravaram uma Mensagem de Páscoa dirigida aos seus diocesanos e a todo o país, a convite da Agência Ecclesia.

Para além dos votos de Páscoa, na atuais circunstâncias, informaram também sobre a forma como estão a viver os tempos de isolamento social e a encontrar formas de prosseguir a dinamização pastoral em cada diocese.

Ao longo da Semana Santa, publicamos os vídeos de cada uma das dioceses; no dia de Páscoa reunimos os votos de Páscoa dos bispos das 20 dioceses nas várias regiões do país e do bispo responsável pela Diocese das Forças Armadas e Forças de Segurança.

Mensagens de Páscoa

 

D. Manuel Neto Quintas
Bispo do Algarve
Gostaria, meus caros diocesanos, que a dimensão Pascal que deve ter a nossa vida inundasse os vossos corações e constituísse para vós uma fonte de esperança e, tanto quanto possível, de alegria pela ressurreição de Cristo, garantia e certeza da nossa própria ressurreição

D. João Lavrador
Bispo de Angra
Eu penso que se nós soubermos viver este tempo pascal, apesar dos condicionalismos – e talvez até com estes condicionalismos – se soubermos interiorizar, viver em profundidade e procurar tirar sentido em tudo o que nos envolve, então sairemos mais reconfortados de tudo isto, que é um flagelo para todos nós. Há uma humanidade nova que vai daqui ressurgir. Unidos à paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo, vamos viver este tempo dramático com esperança e no sentido de uma renovação não só pessoal, mas também comunitária, eclesial e social.

D. António Moiteiro
Bispo de Aveiro
A Páscoa tem de ser, para cada um de nós cristãos, um desafio a sermos de uma forma mais autêntica, rosto de Jesus ressuscitado para os nossos irmãos. Viver a vida e vivê-la de uma forma alegre, na entrega aos outros, é viver como ressuscitados. É esta vida de ressuscitados que nós queremos viver e anunciar.

D. João Marcos
Bispo de Beja
Peçamos ao Senhor esta alegria de que, nas nossas casas, haja Páscoa, haja a manifestação da vida eterna no Amor de Cristo entre os irmãos. Uma Santa Páscoa para todos vós! Ânimo, o Senhor ama-nos muito e quer ser amado por nós amando os nossos irmãos, dando a vida por eles.

D. Jorge Ortiga
Arcebispo de Braga
Necessitamos de muitas Páscoa, de muitos gestos concretos, na atenção aos outros, não deixando que um vizinho ou um familiar se deixe possuir pelo pessimismo ou pelo desânimo. Ajudá-lo efetivamente para que, com a presença do Senhor, seja capaz de ultrapassar e viver Páscoa com alegria, com serenidade. A minha mensagem é esta: acredito firmemente que o Senhor ressuscitou, está presente na sua Igreja. E desejo que, com Ele, façamos desta Páscoa uma festa de pequenas páscoas para recuperarmos novamente a alegria e o encanto de viver.

D. José Cordeiro
Bispo e Bragança-Miranda
Tal como nos primeiros tempos, estamos à porta fechada, nas igrejas, nas casas. Vai chegar o tempo de as abrir! Que as portas do nosso coração estejam sempre abertas para viver a cruz florida da Páscoa. Na dor, na esperança, com Maria Mãe de Jesus, queremos proclamar a Sua ressurreição. O crucificado é o mesmo que ressuscitou e que dá sentido à nossa vida. Coragem e confiança, porque Jesus Cristo ressuscitou! Está vivo e quer-nos vivos!

D. Virgílio Antunes
Bispo de Coimbra
Acredito que Jesus ofereceu a sua vida por todos e, de algum modo, foi Ele o primeiro e o último a globalizar plenamente não só o novo sentido da dor, mas sobretudo novo sentido da alegria, da vida, da ressurreição e da Páscoa. Gostaria, por isso, de desejar a todos os diocesano de Coimbra, uma santa e feliz Páscoa, com muita esperança, com o coração cheio de alegria, porque Cristo ressuscitou, e ao mesmo tempo, condoído e desejoso de consolar todos aqueles que, porventura ao nosso lado, continuam sem fé, sem esperança ou ainda muito marcado pela dor de cada momento

D. Francisco Senra Coelho
Arcebispo de Évora
Tem sido uma experiência que nos mostra que os sinais são muitas vezes mais eloquentes do que as palavras. E a presença amiga, atenta, dirigida ao bispo – e que eu quero agradecer -, foi para mim a experiência de uma Igreja viva e que sabe que o Papa Francisco tem razão quando nos diz que vamos todos no mesmo barco e que nos salvamos em comunidade, nos salvamos todos ou de facto perecemos todos.
Obrigado também à Ecclesia por este abraço ao Alentejo e Ribatejo, que formam a Arquidiocese de Évora
Para os meus diocesanos, votos de santa Páscoa e para todos os portugueses um abraço de presença, união e esperança.

D. Rui Valério
Bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança
Nesta hora em que nós temos a graça de encontrar e contemplar tantos militares, tantos elementos das forças de segurança nas estradas, nos hospitais, em tantos lares, em tantas praças, nós podemos aqui dizer que é Páscoa, porque há passagem. E há passagem porque há vida e uma vida de amor e de serviço.
Caros militares das forças armadas, caros membros das forças de segurança, antigos combatentes e seus familiares. Um bem-haja a todos vos. Que Deus, em Cristo ressuscitado nos abençoe, nos proteja e nos acompanhe.

D. Nuno Brás
Bispo do Funchal
Esta tem sido uma Páscoa difícil de viver. Uma Páscoa única, mas uma Páscoa em que o Senhor continua a querer passar através da nossa vida. Aqui, na Diocese do Funchal, temo-la vivido muito agarrado ao computador:  é a forma que encontramos, através das várias plataformas, para estar com os vários sacerdotes, para encontrarmos uma forma da diocese estar presente neste tempo. A todos quero desejar que, apesar de toda  esta situação, verdadeiramente vivem a Páscoa. O Senhor passa por nós, não percamos essa oportunidade de graça.

D.Manuel Felício
Bispo da Guarda
Nesta hora, a minha mensagem tem de ser de esperança. Esperança tendo em conta muitos sinais de esperança que esta crise está a transmitir. O primeiro deles é este: a defesa da vida em primeiro lugar. Vamos, com a defesa da vida, estar na linha da frente
Também queria lembrar que é a oportunidade de fortalecermos as relações, em primeiro lugar, mais do que outros interesses, puras relações, sobretudo relações em família.
E também, como mensagem de esperança: a nossa ação pastoral tem de ser revista, porque em muitos aspetos não a produzir resultados. Será que o Senhor nos dá agora esta oportunidade de repensarmos a ação pastoral que estamos a ter?

D. António Couto
Bispo de Lamego
Desejo a todos os meus irmãos e irmãs em humanidade, sobretudo aos meus queridos idosos dos lares e aos meus amigos presos, a todos os fragilizados e sem abrigos, a todos os sacerdotes, a todos os lutadores, uma Santa Páscoa de Jesus e com Jesus, particularmente para todos aqueles que habitam neste chão abençoado de Lamego e debaixo desse chão e deste céu abençoado de Lamego.

Cardeal D. António Marto
Bispo de Leiria-Fátima
Neste momento, Deus nos convida a viver a Páscoa num ambiente familiar, em casa, num ambiente mais restrito em que somos obrigados a permanecer. Mas viver a Páscoa em casa não quer dizer que a deixamos de celebrar. E, por isso, desejo que celebrem com alegria, em ambiente familiar, com grande sentido de comunhão, a festa da Páscoa da ressurreição do Senhor. E que a celebrem não só do ponto de vista meramente humano, com uma boa refeição que faz parte da festa, mas também com o pão espiritual. Certo que não poderão receber o pão da Eucaristia. Mas recebem e acolhem o Senhor que se dá na Eucaristia. Não deixa de estar presente no meio deles.

Cardeal D. Manuel Clemente
Patriarca de Lisboa
Dirijo a todos os que me estão a ver e a ouvir através da Ecclesia, também desta diocese como das outras dioceses de Portugal, os votos de uma Santa Páscoa. Ou seja, um tempo de Páscoa que seja a de Deus em nós. Não aquela que nós gostaríamos de fazer só por nós, nos âmbitos familiares e comunitários, como é costume e bom costume. Mas, nestas circunstâncias e por causa destas circunstâncias, esta Páscoa tem de ser inteiramente de Deus, com uma disponibilidade total da nossa parte para que as coisas aconteçam a partir d’Aquele que não se cansa de nos recriar em Cristo e da sua ressurreição.

D.Manuel Linda
Bispo do Porto
Eu tenho a certeza que, de facto, esta época de prova que estamos a viver vai ser passada e vamos entrar na alegria, na liberdade, vamos entrar no sentido pascal que nos leva a poder dizer aleluia. Desejo que esse tempo de aleluia chegue brevemente em Jesus Cristo. Temos a certeza que a última palavra é a que Ele pronuncia: eu estarei sempre convosco todos os dias, até ao fim do mundo. E está connosco como ressuscitado.

D. Antonino Dias
Bispo de Portalegre-Castelo Branco
Estamos a viver uma Páscoa não tanto ao gosto dos homens, mas esperamos que seja ao gosto de Deus.
Às vezes, quando vivemos um pouco mais indiferentes ou afastados deste mistério da salvação, dá-nos vontade de perguntar: Deus onde estás? Mas ele está perto, está connosco e ressuscitou e está vivo. E nesta esperança nós caminhamos e esperamos que toda a comunidade diocesana e não só, em todo o país e no mundo, sejam capazes de encontrar, no meio de tudo isso, a esperança e a alegria de viver.

D. José Traquina
Bispo e Santarém
Vivam esta Páscoa que estamos para celebrar com a mesma intensidade, acompanhando pelos meios de comunicação, a literatura que têm em casa, vivendo dia a dia da Semana Santa e todo o Tríduo Pascal e tempo pascal que se segue toda a intensidade do mistério pascal que é central na vida das comunidades. Encontramos na vida destas celebrações a graça necessária apar anos dedicarmos uns aos outros na edificação do bem, na edificação da Igreja, na edificação de uma sociedade melhor e mais justa.

D. José Ornelas
Bispo e Setúbal
O judeus que viviam longe da sua terá, sempre diziam no próximo ano em Jerusalém. Que nos próximo ano nós possamos celebrar a Páscoa nas nossas Igrejas. Mas sem esquecer que é das famílias que se faz a família de Deus na Igreja. E da solidariedade, par aa formar a verdadeira família de Deus. Que este ano nós celebremos, na dor e na esperança ativas para construir a Igreja nova. Mas que no próximo ano possamos celebra, na paz e na saúde e também na reunião física das nossa famílias, na grande família que é a Igreja

D. Anacleto Oliveira
Bispo de Viana do Castelo
Aproveitem a Páscoa, aproveitem-na nas limitações que ele tem, mas sobretudo nas possibilidade que ela dá. São únicas, inesperadas. Como é próprio dos cristãos, do nosso Deus, ele aproveita as fraquezas, os males, sempre par ao maior bem, sempre para oferecer a sua salvação. Desejo a todos os cristãos da diocese, naturalmente a todos os cristãos do país, como membro da conferência episcopal, uma santa e feliz Páscoa.

D. António Augusto Azevedo
Bispo de Vila real
Se estes dias são de preocupação, de sofrimento, de alguma prudência que devemos ter, não tenho dúvidas que depois, apesar das dificuldades, haverá algo de novo. Haverá vida, vida diferente. Para isso conto convosco! Estou certo de que, passado este momento de tempestade e dificuldade, tempos novos virão e serão tempos em que cada um de vós será chamado a caminhar e a realizar tudo o que de bom vai ser capaz de fazer!

D. António Luciano
Bispo de Viseu
Em Cristo ressuscitado abraço a todos e a todos, em nome de Deus, quero dar a minha bênção de pastor, de pai, de irmão e de amigo. De alguém que está próximo. Não quero esquecer ninguém! Aqueles que acreditam e todas as pessoas de boa vontade ou que pensam de maneira diferente. Acredito que é preciso ficarmos em casa, mas depois tudo será diferente. Juntos, porque solidários, construiremos um mundo novo, um mundo novo, um mundo melhor. E estas são as pascoas floridas que desejo que todos nós vamos construir na nossa vida e à nossa volta. Cristo Ressuscitou verdadeiramente, aleluia, aleluia!

(A Agência Ecclesia agradece ás várias dioceses as mensagens de Páscoa)