POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

“A urgência de uma pastoral da fragilidade e do cuidado”


Na noite de 9 de fevereiro realizou-se por meios telemáticos a conferência «A urgência de uma pastoral da fragilidade e do cuidado», proferida pelo P. José Nuno Ferreira da Silva, assistente do Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde e capelão do Santuário de Fátima, no âmbito do ciclo «Todos família, todos irmãos», organizado pelo Centro de Cultura Católica e pelo Diaconado Permanente da Diocese do Porto. À organização desta sessão associou-se também o Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde, na proximidade da celebração do Dia Mundial do Doente, também desta forma assinalado ao nível diocesano.

 

 

A sessão foi muito participada. Contaram-se cerca de 250 dispositivos informáticos ligados durante a conferência, a que correspondiam uma ou mais pessoas.

Depois da abertura da sessão pelo P. Adélio Abreu, diretor do Centro, que teve a oportunidade de a enquadrar no Plano Diocesano de Pastoral e no contexto do Dia Mundial do Doente, e de apresentar o conferencista, o P. José Nuno tomou a palavra para a sua apresentação, desdobrada em três pontos. No primeiro, tratou da «fragilidade, a máscara que nos desmascara». No segundo, aludiu a algumas referências magisteriais da pastoral do cuidado. Finalizou com a abordagem específica da urgência de uma pastoral da fragilidade e do cuidado, detalhando duas linhas essenciais para a sua concretização: a interioridade e a proximidade.

Concluída a intervenção, proporcionaram-se ainda uns largos minutos de diálogo, a partir das perguntas e observações dos participantes. O P. José Nuno teve então oportunidade de se deter novamente sobre a fragilidade, a interioridade e a proximidade, na referência ao contexto que estamos a viver, proporcionado pela pandemia. Alargou ainda a sua reflexão a outros temas suscitados pelos participantes, como o luto ou a eutanásia.

No termo da sessão, tomou a palavra a Dr.ª Maria do Rosário Rodrigues, presidente do Secretariado Diocesano da Pastoral da Saúde, para saudar os participantes e enquadrar a sessão no contexto da celebração diocesana do Dia Mundial do Doente.

A próxima conferência do ciclo realiza-se a 11 de maio, às 21 h. Jorge Teixeira da Cunha, professor de Teologia Moral na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, refletirá sobre o tema «Viventes na casa comum».

(inf: CCC)