POLITICA DE COOKIES
Utilizamos cookies para assegurar que lhe fornecemos a melhor experiência na nossa página web. Ao continuar a navegar consideramos que aceita o seu uso.
COMPREENDO E ACEITO

Arte sacra: Igreja de S. Gonçalo de Amarante foi reabilitada


Obras neste Monumento Nacional foram lideradas pela paróquia em colaboração com entidades públicas e privadas

Foi na festa litúrgica do padroeiro, a 10 de janeiro, que reabriram ao público a Igreja e Claustro de S. Gonçalo em Amarante, após profundas obras de reabilitação.

O bispo do Porto presidiu à Eucaristia e à dedicação do novo altar. A propósito desta inauguração, nesse mesmo dia, D. Manuel Linda publicou uma mensagem na rede social twitter dizendo: “Hoje, dia de S. Gonçalo, terei a alegria de dedicar o novo altar da igreja de Amarante, completamente restaurada. Parabéns ao Pároco e Conselho Económico que angariaram imensos fundos. A Igreja gera cultura e arte, mantém-nas e coloca-as ao serviço do «povo». E isto é belo!”

Na Eucaristia na reabilitada Igreja, o bispo do Porto destacou na sua homilia a profunda vivência espiritual do Beato Gonçalo de Amarante, sublinhando que não era uma vivência desligada da realidade, mas empenhada no bem comum e no cuidado com o próximo.

Com esta inauguração da Igreja e Claustro de S. Gonçalo em Amarante, o norte de Portugal, a diocese do Porto e a cidade de Amarante viram reabrir uma beleza do seu património que está classificada como Monumento Nacional, tal como referiu o pároco, padre José Manuel Ferreira, em declarações à reportagem de Voz Portucalense.

“Este projeto é muito particular, porque é um Monumento Nacional, não é propriedade da paróquia, mas do Estado, entregue e confiado à paróquia para uso da liturgia para as suas celebrações. A paróquia tem o cuidado e o dever da sua manutenção” – afirmou.

O pároco de S. Gonçalo recordou ainda que a reabilitação desta Igreja só foi possível através da colaboração de entidades públicas e privadas, num processo liderado pela paróquia.

“Iniciamos um projeto inédito que é a paróquia assumir-se como dono da obra num edifício que é património do Estado e que concorre a fundos comunitários. Conta com a colaboração da Direção Regional da Cultura, do programa comunitário Norte 2020, com a Câmara Municipal de Amarante, a Fundação Manuel António da Mota, os paroquianos e os empresários da nossa terra. E contamos também com a devoção a S. Gonçalo, os peregrinos e devotos que com as suas esmolas fazem com que esta comunidade paroquial possa sonhar e realizar grandes projetos” – declarou o padre José Manuel Ferreira.

A obra agora inaugurada teve um investimento total de mais de dois milhões de euros (2.193.175,01€), dos quais 819.425,20€ provêm do Norte 2020 – Programa Operacional Região Norte, através de uma candidatura junto da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte (CCDRN).

A construção da igreja de S. Gonçalo em Amarante atravessou vários reinados e diferentes estilos arquitetónicos com influências renascentistas, maneiristas e barrocas. Esta obra de reabilitação decorreu em todo o edifício e no recheio artístico, constituído pelos seus retábulos, esculturas e pinturas murais.

Tendo em conta que se trata de um Monumento no Caminho de Santiago, esta obra visou potenciar o desenvolvimento do Turismo Cultural e Religioso.

A Igreja e Claustro de S. Gonçalo de Amarante é um dos monumentos mais visitados na região Norte de Portugal recebendo uma média anual de 60 mil visitantes.

RS